53% dos gols sofridos pelo Grêmio em 2016 são em bola aérea

Tricolor acumula resultados ruins devido a este tipo de jogada

3 de junho de 2016 - Às 12:10
Foto: Lucas Uebel
Foto: Lucas Uebel

O Grêmio faz boa campanha no Brasileirão e isso se deve a defesa que não sofreu nenhum gol nas quatro primeiras rodadas. Porém, a defesa ruiu nesta quinta ao sofrer quatro gols do Palmeiras na derrota por 4 a 3. O ponto crítico foram as bolas aéreas, grande problema do time no ano.

O Tricolor já sofreu 34 gols na temporada. Destes, 18 foram na bola aérea. Ou seja, mais da metade.

34
Gols sofridos
18
Bola aérea
53%
Porcentagem

— A bola parada é algo que se treina todos os dias. No jogo, a circunstância é diferente. Tem zagueiro adversário que é alto e sobe muito mais. Esse tipo de gol, temos que entender que também é mérito do rival. Mas, se tivéssemos um pouco mais de atenção, não levaríamos os gols — avaliou o meia Giuliano, depois da derrota no Pacaembu.

Nas eliminações da temporada, o Tricolor perdeu para o Juventude por 2 a 0 na partida de ida das semifinais do Gauchão, sendo os dois gols em bolas aéreas. Nas oitavas da Libertadores, dos quatro gols sofridos nas duas partidas pelo Rosário, três foram em bola aérea.

— Não tem nada de “voltou problema da bola área”. Os gols foram mérito do Palmeiras. O atacante deles achou uma bola mágica e depois uma bola bem batida no meu goleiro. Gols circunstanciais — ponderou o técnico.



Veja também