5 motivos para acreditar na classificação do Grêmio contra o Rosário

Volta de Geromel, vitória em Quito como exemplo e melhor ataque do Brasil são pontos a acreditar

1 de maio de 2016 - Às 09:31
Foto: Lucas Uebel
Foto: Lucas Uebel

Na quinta-feira, o Grêmio visita o Rosário Central pela partida de volta das oitavas de final da Libertadores e precisa reverter o resultado negativo de 1 a 0 na semana passada, na Arena.

O site UOL Esporte elencou cinco motivos pelos quais o Grêmio pode acreditar na classificação. Confira abaixo:

1. Lá é diferente
Se em 2015 o Central não soube o que foi derrota ao lado de sua torcida, neste ano a coisa é diferente. Na fase de grupos da Libertadores o time de Eduardo Coudet marcou passo no estádio Gigante de Arroyto. O estilo de marcação pressão, intensidade e controle sem a bola não se mostrou nada efetivo contra Palmeiras e Nacional-URU.

2. Geromel
A grande esperança dos gremistas tem nome e sobrenome. Pedro Geromel. Para exemplificar o peso do zagueiro, basta olhar os números do Grêmio sem ele. Desde que foi afastado, por conta de uma caxumba, o camisa três viu pela TV os companheiros vazarem quatro vezes em três partidas. E todos com falhas significativas dos defensores.

3. Tempo
Se o Grêmio chegou ao primeiro jogo com o Central esgoelado pelo calendário, agora viverá situação inversa. Eliminado do Gauchão, o tricolor terá uma semana sem compromissos para recuperar o fôlego e encontrar uma estratégia. Os argentinos seguirão em ritmo intenso, com partida válida pelo campeonato nacional.

4. Melhor ataque do Brasil
Se o Grêmio precisa fazer gols, um dado é animador. Nenhum outro time brasileiro balançou mais as redes em 2016 que a equipe dirigida por Roger Machado. Juntando Gauchão e Libertadores, o tricolor marcou 46 gols e lidera com folga o ranking de times mais goleadores.

5. Quito
Na altitude, em jogo também com caráter decisivo, o Grêmio não só venceu como jogou bem. Com estratégia bem definida, o time gaúcho chegou a abrir 2 a 0 e voltou para casa com histórico placar de 3 a 2. O mesmo escore, se repetido no interior da Argentina, garante vaga as quartas de final.



Veja também