Lucas Uebel/Grêmio

A primeira vitória do Grêmio no Campeonato Brasileiro deixa algumas mensagens para o técnico Renato Gaúcho. Sem improvisações, rendeu uma melhor produção do time. Mas o principal destaque fica no ataque. Autor do gol do 1 a 0 sobre o Atlético-MG, Felipe Vizeu igualou o número de gols do companheiro André, responsável pelo pênalti perdido na partida, com metade dos minutos em campo.

A fase parece ter virado. Vizeu encerrou o jejum de mais de três meses sem balançar as redes: o último gol havia sido em 10 de fevereiro, contra o Avenida, pelo Gauchão. Em tempo jogado, o hiato durava 583 minutos.

Felipe Vizeu tem 644 minutos em campo, durante 16 jogos, com três gols marcados. Enquanto André tem 1.617 minutos em 23 partidas, e os mesmos três gols. Por outro lado, nas assistências, André tem larga vantagem. É o líder do elenco, com seis passes para gol, enquanto Vizeu tem um.

– Lógico que é importante fazer gols. Foi por isso que foram contratados. Mas eles entregam para a equipe. É normal jogador ficar um tempo sem fazer gol. O maior exemplo foi na Copa do Mundo. Peço para o André e o Vizeu ajudarem. Foi muito importante (o gol de Vizeu), que devolve ainda mais a confiança – destacou Renato.

“Se André é titular ou Vizeu… Eles são da equipe do Grêmio. Faço rodízio e todos podem jogar” (Renato)

O comandante tricolor não deu indício algum, mas o recado dado por Vizeu é que o centroavante está pronto para ganhar uma sequênciade jogos. Pode começar já nesta quarta-feira, nas oitavas de final da Copa do Brasil, contra o Juventude, na Arena.

– A partir de agora vão vir muitos gols. Iniciei muito bem, às vezes os gols não acontecem, fazemos uma pressão muito grande em cima da gente. Dedico ao meu filho, minha esposa, meus pais, irmãos, toda família, para o grupo, para a torcida. Eles sabem que a gente batalha, trabalha e, às vezes, as coisas não acontecem. Mas foi o dia de dar a volta por cima e fazer este gol – reconheceu Vizeu.

“Renato é um gênio”

O discurso de Renato ainda corrobora com mais oportunidades para Vizeu. O treinador disse ter sacado André no intervalo do jogo contra o Galo para evitar uma manifestação negativa por parte da torcida se o centroavante errasse algum outro lance no segundo tempo. Pois bem, a lógica vale também contra o Juventude.

“Renato é um gênio. Sabe muito bem nos passar a confiança com as palavras. Isso faz muita diferença quando entra em campo” (Felipe Vizeu)
 

Se optar por André desde o início, Portaluppi pode causar uma animosidade desnecessária da torcida, que vaiou o jogador na saída para intervalo, no sábado. Justo em uma partida decisiva. Vizeu ainda criou uma chance ao acreditar em jogada pela direita e cruzar na medida para Diego Tardelli. A finalização do camisa 9, porém, foi bloqueada.

Vizeu começou o ano aos poucos no time até ganhar a vaga de titular. Só que na primeira partida da Libertadores, contra o Rosario Central, empilhou oportunidades perdidas. Após três jogos, perdeu a condição. Foi sacado no intervalo da derrota para o Libertad, na Arena, e viu seu espaço minguar.

Quando o Grêmio foi ao Chile enfrentar a Universidad Católica, também pela Libertadores, sequer viajou para melhorar a parte física. Entre os reservas, recebeu chances com no máximo 15 minutos em campo, na reta final das partidas.

No fim de semana que passou, porém, não vacilou. Entrou no intervalo e, com um minuto e quarenta e quatro segundos em campo, marcou o gol da primeira vitória tricolor no Brasileirão. Resta saber se terá condições de manter o status e ser um centroavante com a simpatia da torcida.

O elenco volta a treinar na tarde desta segunda-feira, no CT Luiz Carvalho, para se aprontar ao duelo decisivo na Copa do Brasil. Após os resultados de domingo, o Grêmio voltou à zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, em 17º. Se Avaí e CSA ganharem seus jogos em casa, nesta noite, retorna ao penúltimo lugar.



Veja também