Por Giovani Mattiollo
- Às 16:51
6

Foto: Lucas Uebel / Grêmio / Divulgação / CP

O atacante Felipe Vizeu participou de uma entrevista coletiva na sexta-feirae afirmou que a chegada do experiente Diego Tardelli “não pode trazer pressão” para  o grupo do Grêmo. “Sabemos, sem dúvidas, da qualidade e do potencial que ele tem. É um jogador que está chegando para somar e isso é bom para o Grêmio. Precisamos continuar com humildade a cada jogo, trabalhando para conquistarmos os nossos objetivos”, defendeu. Sobre a saída de Jael, vendido para o futebol japonês, o atleta de 21 anos admitiu que o colega vai fazer falta, pois era um líder e desejou a ele mais êxitos na carreira.

Com a contratação de Tardelli, a disputa pelo comando do ataque tricolor se acirra ainda mais, o que não preocupa Vizeu. “É motivo de felicidade ver um elenco tão bom. Como costumo dizer, não tem mimimi, não tem vaidade, tem todo mundo correndo, se abraçando. Se tiver que brigar, vai brigar, mas depois vai se abraçar, porque isso é importante para o Grêmio”, completou. Uma de suas estratégias para tentar a vaga de titularidade será continuar trabalhando e sempre se colocar à disposição. Ele acredita que todos têm que saber “o que é melhor para o time” e sempre ter um bom trabalho em prol do coletivo

Apresentado há exatamente um mês, o jogador considera que está bem-adaptado e acredita que está fazendo um bom trabalho. “É muito importante para um atleta chegar num clube e ser recebido da forma como fui, tanto pelo grupo pelos torcedores. Meus colegas já estavam me passando confiança e isso tem feito com que nos jogos eu tenha resultados positivos”, avaliou.

Vizeu comentou que o técnico Renato Portaluppi tem passado muitas instruções e tem sido de extrema importância para seu desenvolvimento. “Nas partidas, tenho entrado no segundo tempo e todas as vezes ele pede para eu fazer algumas movimentações e falar algumas coisas para os meus companheiros. Até mesmo no último jogo, me disse ‘vai, pressiona ainda mais, para a gente tentar mais gols'”, falou sobre a vitória por 6 a 0 contra o Avenida,

Projetando o próximo jogo, contra o Brasil de Pelotas, fora de casa, o atacante disse que sabe da tradição, da torcida do adversário. “Um jogo na casa deles é sempre difícil. Temos que estar com a nossa consciência tranquila para fazer um bom trabalho. Quem jogar, tem que dar o melhor”, frisou. A partida está marcada para domingo, às 17h, no estádio Bento Freitas.


Comentários