Pedro Geromel ouve da boca de Tite a melhor notícia de sua carreira e logo recebe os aplausos dos companheiros de Grêmio, acomodados em uma sala do hotel que abriga a delegação em Maturín, na Venezuela. O zagueiro é só sorrisos com o carinho de todos os jogadores, dirigentes e de Renato Portaluppi. Mas basta deixar o recinto rumo à entrevista coletiva para que seu semblante volte ao normal. Convocado para vestir a camisa do Brasil na Copa do mundo de 2018, o defensor foi premiado por anos de regularidade em alto nível na defesa gremista.

E por sua postura fora de campo como líder do elenco e exemplo aos colegas A partida contra o Monagas, nesta terça-feira, às 21h30, pela 5ª rodada da Libertadores é prova disso. A dois jogos de se apresentar à Seleção, Geromel irá manter a mesma seriedade e firmeza a cada dividida que fizeram seu status saltar de desconhecido em sua contratação pelo clube, ao final de 2013, a unanimidade no país todo. A ponto de ser tratado como o melhor zagueiro em solo tupiniquim.

Geromel recebe o abraço de Renato Portaluppi após ser convocado (Foto: Lucas Uebel/Grêmio)

O que muda é seu “apelido” entre colegas e integrantes da comissão técnica. “Geromito”, como é chamado pelos torcedores, virou “Seleça”, ao ser saudado pelo auxiliar Alexandre Mendes.

Vai para dividida?)Lógico. Claro, 100%. Foi assim que cheguei até aqui. Não vou agora tirar o pé” (Pedro Geromel).

O próprio Tite deixou evidente que o “olho no olho” pesou tanto em sua escolha quanto o desempenho quase impecável do zagueiro nas últimas três temporadas. Na entrevista coletiva após a divulgação da lista, o técnico falou que o “intangível” foi fator determinante para preferi-lo a Rodrigo Caio.

– Regularidade de desempenho, alguns aspectos também que são muito individuais de feeling, de percepção. Coisas como dia a dia de trabalho, treinamento, relações, a palestra, olhar no olho, momento da mobilização, do jogo. É difícil transmitir para vocês. Grêmio vem mantendo padrão de regularidade em alto nível há dois anos. Começou com Felipão, afirmação com Roger e colhendo todos os frutos pela qualidade do trabalho com Renato. E o Geromel nesse tempo mantendo uma consistência em alto nível. Isso tudo o credenciou – afirma Tite.

Geromel vibrou com a convocação de Tite (Foto: Eduardo Deconto)

De fato, quem vê as atuações soberanas do capitão do tri da América do Grêmio jamais ousaria dizer que Pedro Geromel fora alvo de contestações. O zagueiro teve sua contratação acertada pelo Tricolor ao final de 2013 e desembarcou em Porto Alegre no começo de 2014 como um desconhecido de sobrenome um tanto estranho. Não à toa. Formado na base do Palmeiras, o defensor só havia atuado como profissional em solo europeu, com passagens por Portugal, Alemanha e Espanha, antes de deixar o Mallorca e chegar ao Tricolor.

A reação da torcida foi imediata, com críticas a sua contratação. Até hoje, os torcedores que manifestaram o descontentamento no perfil oficial do clube no Facebook recebem cornetas – para lá de justas – pela recepção ao defensor. Mas, verdade seja dita, seu início deu razões para isso. Logo em seu segundo jogo, o zagueiro marcou contra no empate em 2 a 2 com o São Luiz, pelo Gauchão.

A desconfiança foi suplantada jogo após jogo com atuações seguras. Já em 2014, Geromel encerrou o ano em alta sob o comando de Luiz Felipe Scolari. O mesmo ocorreu em 2015, com Roger Machado, quando já era apontado por muitos como melhor atleta da posição em ação no país. Mas o salto até virar selecionável para a Copa foi selado a partir da chegada de Renato Portaluppi, em agosto de 2016.

Nem tanto pelo desempenho individual, com o nível elevado mantido. E exponenciado por um rendimento coletivo crescente desde a primeira temporada com o treinador e pela parceria com Kannemann. O Tricolor enfileirou títulos, com o penta da Copa do Brasil em 2016, o tri da Libertadores em 2017, o bi da Recopa Sul-Americana e o Campeonato Gaúcho em 2018. Todos aliados a um futebol que passou a encantar o país ainda no ano passado e segue cotado como o melhor do Brasil.

Sem o Grêmio, nada disso seria possível. O Grêmio me projetou a nível mundial” (Pedro Geromel)

O próprio Geromel fez questão de reconhecer o papel de cada um de seus companheiros na convocação instantes após ser saudado por aplausos e por um abraço de Renato. Após ouvir a convocação, o zagueiro discursou aos colegas e deixou claro:

– Sem vocês, não seria possível, cada momento, cada situação que a gente passou juntos. Vocês foram fundamentais pela convocação, fazem parte, e eu vou ser eternamente grato por vocês terem me proporcionado isso aí.

Geromel convocado para a Copa do Mundo (Foto: Lucas Uebel / Grêmio, DVG)

Convocado por Tite, Geromel dará o melhor de si contra o Monagas, nesta terça-feira. Depois, fica à disposição para uma despedida contra o Paraná, no domingo, às 16h, no Durival Britto, pelo Brasileirão. O defensor será baixa do Grêmio por seis rodadas do Nacional e no duelo com o Defensor, na Arena, pela Libertadores.

Geromel se apresenta à Seleção em 21 de maio para iniciar o período de preparação para a Copa, com viagem para Londres prevista para o dia 27. O Brasil tem dois amistosos em vista antes do Mundial: enfrenta a Croácia em 3 de junho, em Liverpool, e a Áustria, em 10 de junho, em Viena. A estreia ocorre em 17 de junho, contra a Suíça, em Rostov do Don, na Rússia.


Comentários