Foto: Eduardo Moura

Responsável direto pela classificação gremista na Libertadores, o meia-atacante Alisson abraça o rótulo de “talismã” da equipe. Mas alerta que o Grêmio “não está na final”, já que decide a vaga em duelo com o Athletico nesta quarta-feira, na volta da semifinal da Copa do Brasil.

Alisson tem um histórico de gols decisivos em mata-mata. Em 2018, ficou marcado por levar a decisão com o Estudiantes, nas oitavas de final da Libertadores, para os pênaltis. O Grêmio se classificou e chegou até a semi. Já em 2019, fez o gol gremista na vitória sobre o Bahia, no segundo jogo das quartas da Copa do Brasil.

– Sempre me preparo para todos os jogos da mesma maneira. Desde quando cheguei, se começar como titular ou reserva, fazer gols decisivos ou não, sempre disse que queria ajudar. Fico feliz pelo apelido da torcida, por ter feito os gols decisivos ano passado e esse ano. Que eu possa continuar fazendo. Vale ressaltar que não conseguiria sem a ajuda dos meus companheiros – apontou Alisson em entrevista coletiva nesta segunda-feira.

Apesar da vantagem de 2 a 0 construída na Arena, o jogador rechaça qualquer situação encaminhada para estar na final da Copa do Brasil. Conforme ele, não há qualquer sentimento de facilidade para o duelo da quarta-feira, na Arena da Baixada. O Tricolor pode perder por um gol de diferença e ainda assim estará na decisão da competição.

– Futebol é jogado, temos mais 90 minutos. Você ver um Barcelona da vida, ganhou de 3 a 0 (na Liga dos Campeões), perder a classificação, não dá para falar que estamos classificados. Temos que esquecer a vantagem, não adianta fazer uma grande partida aqui e perder a classificação lá – completou Alisson.

O Grêmio treinará na manhã desta terça-feira, no CT Luiz Carvalho, e viaja para Curitiba em voo fretado no início da tarde. Maicon, ausência no treinamento da tarde desta segunda, deve ser desfalque por conta de dores na panturrilha direita. Everton, suspenso, também não estará em campo.



Veja também