Por Giovani Mattiollo
- Às 19:54
33

Foto: Fabiano do Amaral

O técnico Renato Portaluppi elogiou o time do Grêmio, ainda que esperasse um pouco mais do resultado, neste domingo no Gre-Nal do Beira-Rio. Ele avaliou que a partida foi “parelha”, mas apontou um problema que impediu uma vantagem gremista. “Faltou um pouco de capricho no último passe para podermos sair daqui com a vitória”, salientou.

“Foi um Gre-Nal bem disputado, com oportunidades de cada lado”,  analisou o comandante tricolor. “Eu gostei bastante do meu time, buscou o gol o tempo todo”, afirmou. Renato elogiou a arbitragem, mas lamentou a interrupção da partida no primeiro tempo. “Infelizmente, estava prevista a parada técnica e foi no melhor momento da nossa equipe”, ponderou. “Faz parte, mas tem que dar os parabéns ao Vuaden que teve atuação nota dez”.

Renato elogiou particularmente a consistência defensiva do seu time. “Qualquer jogador que atua contra o Grêmio, a defesa vai estar atenta. O Guerrero é um grande jogador, mas não vai ter espaço para qualquer atacante, principalmente ele”, analisou, sobre a inoperância do destaque do rival. “Não é por nada que temos a melhor zaga da América do Sul. Tomamos apenas um gol no estadual e poucos na Libertadores. São dois grandes, Geromel e Kannemann, contra um grande atacante”, projetou.

Eles descartou indicar favoritismo, apesar do Tricolor poder levantar a taça com uma vitória simples em casa. “Não tem favoritismo na Arena. Não existe no Gre-Nal”, frisou. “Hoje foi bem disputado em ambos os lados. Serão mais 90 minutos”, ponderou, antes de brincar sobre o momento de maior tensão. “As discussões fazem parte. Se não estava tendo dentro de campo, fiz uma ali do lado de fora. Mas faz parte”, ironizou, sobre o bate-boca com o zagueiro Victor Cuesta.


Comentários