Por Giovani Mattiollo
- Às 06:32
8

Lucas Uebel/Divulgação Grêmio

Crise? Que crise? Para Renato Portaluppi, o mau desempenho do Grêmio nas últimas duas partidas na Libertadores não configuram o colapso do time. É apenas uma instabilidade que, segundo o treinador, não chegou ao Estadual, como comprovou a vitória por 3 a 0 sobre o São Luiz.

Após a partida, ele se sentou à mesa de coletivas do estádio ao lado do presidente Romildo Bolzan e do vice-presidente de futebol Duda Kroeff, e questionou, sem endereçar a um alvo específico, as críticas recebidas nos últimos dias:

– Onde está a crise que algumas pessoas querem colocar no Grêmio? Se é ter o melhor ataque do Brasil, a melhor defesa do Brasil e ainda ter chance na Libertadores com apenas três a quatro meses de trabalho, o que esperar quando estivermos em uma fase boa?

O técnico do Grêmio admite que a equipe esteve abaixo do esperado nos jogos com o Libertad e a Universidad Católica. Tanto que procurou remobilizar o elenco para buscar a decisão do Gauchão e evitar um problema maior na sequência da temporada. Porém, minimizou qualquer rumor e procurou enaltecer o bom desempenho dos jovens, como Jean Pyerre e Matheus Henrique.

– A crise é porque estamos descobrindo novos talentos, estamos conseguindo dar sequência nas competições, conquistamos quatro ou cinco títulos e a torcida está em lua de mel nesses dois a três anos – provocou. – Nos outros dois jogos, não jogou tudo que sabe, e reconheço, mas por causa disso querem colocar crise? Não vão conseguir – avisou, e ainda completou: – Pelo contrário. Não é um grupo perfeito, mas o suficiente para continuar dando alegrias à torcida.

Com jogos decisivos no horizonte, Renato afirmou que a noite será usada para “curtir” a classificação no Campeonato Gaúcho. Na segunda-feira, o grupo se reapresenta, realiza as revisões médicas e, a partir dos resultados, ele começará a escalar o time que enfrenta o Rosario Central na quarta-feira. Contudo, pelo que provaram em campo, Jean Pyerre, Matheus Henrique e até Alisson, que abriu o placar e dominou a extrema-direita da equipe, largam na frente.

– É o grupo do Grêmio. Nunca falo que este ou aquele é o principal. Procura sempre alternar, mesclar dependendo do que a gente precisa, da sequência, do cansaço. Todo jogador tem que estar preparado. Ele pode jogar a qualquer momento – alerta.

Em relação aos Gre-Nais da final, que decidem o Gauchão após três anos sem Grêmio ou Inter, Renato falou ainda menos. Ele concentra as forças para o torneio sul-americano, para o qual confia na ida para as oitavas de final:

– Tenho certeza que vamos conseguir a classificação na Libertadores. Vamos degrau a degrau. O primeiro foi a classificação de hoje. A partir de amanhã, vamos repensar novamente na Libertadores e contar com o torcedor, que sempre esteve presente, e por isso somos imortais.

O elenco gremista se reapresenta na tarde desta segunda-feira com foco no jogo de quarta, às 21h30, contra o Rosario Central. A rodada é determinante para definir as pretensões do time na Libertadores, já que o Grêmio tem apenas um ponto no Grupo H ao lado do Central e a cinco do vice-líder Universidad Católica. O Libertad lidera com nove pontos.


Comentários