Por Giovani Mattiollo
- Às 08:39
44

Foto: Diego Guichard

Dentro do planejamento financeiro do Grêmio para fechar o orçamento da temporada no azul, a direção estipulou a necessidade de lucrar R$ 61,2 milhões com venda de jogadores – o que foi concluído com as negociações de Pedro Rocha e Walace. Agora, imagine passar um ano inteiro sem a necessidade de fazer caixa com a saída de joias. Essa realidade, até então utópica para um clube de futebol brasileiro, tem um caminho acessível em 2018: a Copa do Brasil. Por conta da premiação recorde de R$ 68,7 milhões – para quem jogar todas as fases -, a competição ganha ares de prioridade para o Tricolor gaúcho.

Em termos de bonificação, a Copa do Brasil será a principal competição a partir de 2018. Serão R$ 50 milhões destinados ao campeão, outros R$ 20 milhões ao vice, R$ 8 milhões aos clubes semifinalistas, além de R$ 4 milhões pela participação nas quartas de final. Somando as cotas das fases anteriores ao prêmio de campeão, o primeiro colocado poderá faturar até R$ 68,7 milhões. Não é o caso do Grêmio, que entra nas oitavas. Mas os R$ 50 milhões já brilham os olhos gremistas.

Para se ter uma ideia comparativa, a premiação total gerará mais lucro do que as vendas de Pedro Rocha e Walace, juntas. O atacante foi negociado com o Spartak por 12 milhões de euros (R$ 45,2 milhões), enquanto o volante saiu para o Hamburgo e rendeu R$ 20 milhões aos cofres (na cotação de janeiro). Ou seja, R$ 3 milhões abaixo dos lucros que a competição nacional dará ao campeão.

– Por conta da premiação, precisamos dar atenção a Copa do Brasil. São somente oito jogos, em uma competição que tem o estilo do Grêmio – comenta o diretor de futebol Saul Berdichevski.

Troféu foi conquistado pelo Grêmio em 2016 (Foto: Jefferson Bernardes / AFP)

Até mesmo a Libertadores conta com premiação bem inferior a da Copa do Brasil. Atual campeão, o Grêmio levou R$ 24,7 milhões pelo título deste ano. Para 2018, a Conmebol decidiu aumentar a premiação. O vencedor do torneio, somada todas as fases, deve faturar mais de R$ 35 milhões – R$ 33 milhões a menos do que a competição brasileira.

Premiações para o campeão

  • Copa do Brasil 2018: R$ 68,7 milhões
  • Copa do Brasil 2017: R$ 13,3 milhões
  • Libertadores 2017: R$ 24,7 milhões
  • Libertadores 2018: R$ 35 milhões
  • Brasileirão 2017: R$ 18 milhões
  • Brasileirão 2018: sem valores definidos

Pentacampeão da Copa do Brasil em 2016, o Tricolor gaúcho arrecadou cerca de R$ 9 milhões na competição. Neste ano, a premiação chegou a R$ 13 milhões para o Cruzeiro, atual campeão.

Os valores do próximo Campeonato Brasileiro ainda não foram definidos. Campeão deste ano, o Corinthians levou R$ 18 milhões, sendo que a premiação total para todos os participantes chegou a R$ 63 milhões – ainda abaixo da Copa do Brasil.


Comentários