Por Giovani Mattiollo
- Às 12:06
27

A expectativa era das melhores, mas não se confirmou na prática. Prestes a ser anunciado pelo Racing, da Argentina, após rescindir com o Grêmio, o meia Walter Montoya não conseguiu conquistar seu espaço dentro do elenco tricolor e se tornou uma peça descartável já no meio da temporada de 2019. Emprestado ao clube gaúcho, o argentino engrossa uma lista de estrangeiros contratados nos últimos anos que chegaram e foram embora sem deixar saudades.

No total, foram 21 jogadores de outras nacionalidades contratados de 2010 para cá. Destes, pelo menos 11 podem ser consideradas tentativas frustradas do Grêmio, embora alguns tenham justificado a aposta em algum momento. Kannemann, ídolo da torcida e titular absoluto desde 2016, virou uma realidade fora da curva nos últimos anos.

Os gringos contratados desde 2010*

  • 2019 – Montoya
  • 2018 – nenhum
  • 2017 – Lucas Barrios, Beto da Silva, Gata Fernández e Arroyo
  • 2016 – Bolaños e Kannemann
  • 2015 – Erazo, Cristian Rodríguez Braian Rodríguez
  • 2014 – Matías Rodriguez e Alán Ruiz
  • 2013 – Maxi Rodríguez, Riveros, Vargas e Barcos
  • 2012 – Bertoglio, Marcelo Moreno e Sorondo
  • 2011 – Miralles e Escudero
  • 2010 – nenhum

* Em negrito, os gringos que tiveram passagens discretas pelo Grêmio

Montoya foi a última aposta gremista no mercado latino. Em 2018, nenhum estrangeiro foi contratado, após fracassos de Beto da Silva, Gata Fernández e Arroyo no ano anterior. Apenas Lucas Barrios entregou o rendimento esperado em sua passagem dos reforços estrangeiros de 2017. Foi titular absoluto e campeão da Libertadores.

Maxi Rodríguez chegou com promessa, mas não se firmou — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Maxi Rodríguez chegou com promessa, mas não se firmou — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Principal investimento do Grêmio em 2016. Miller Bolaños teve uma arrancada promissora e foi importante no título da Copa do Brasil, com gol na final contra o Atlético-MG, mas depois pediu para deixar o clube, afetado por problemas pessoais. Por isso, não pode ser considerado um fracasso. Em 2015, o uruguaio Cristian Rodríguez foi contratado como responsável por dar um salto de qualidade ao time, mas jogou menos de 90 minutos em dois meses.

Em 2014, o argentino Matías Rodríguez foi buscado para solucionar os problemas da lateral direita do Grêmio após sucesso na Universidad de Chile. No entanto, nunca conseguiu ter uma sequência e se consolidar. Na temporada anterior, o Tricolor apostou em vários gringos: chegaram Barcos, Vargas, Riveros e Maxi Rodríguez, este último como única aposta que não deu resultado.

Voltando ainda mais no tempo, chegamos às contratações de Sorondo e Facundo Bertoglio, em 2012. O zagueiro uruguaio teve uma lesão grave na pré-temporada daquele ano e deixou o clube sem sequer estrear. No ano seguinte, chegou a ser relacionado para jogos pelo Defensor, do Uruguai, antes de se aposentar. Já o meia argentino caiu nas graças da torcida, chegou a sair e depois voltar ao Tricolor com direito a festa, mas não apresentou bom futebol.

Beto da Silva e Gata Fernández tiveram passagens inexpressivas pelo Grêmio — Foto: Lucas Uebel / Grêmio, DVG

Beto da Silva e Gata Fernández tiveram passagens inexpressivas pelo Grêmio — Foto: Lucas Uebel / Grêmio, DVG

Fecha a lista o atacante Ezequiel Miralles. Nunca apresentou um rendimento do tamanho do cartaz que tinha com a torcida. É lembrado pelo golaço marcado contra o Flamengo, em 2011, no reencontro do Grêmio com Ronaldinho Gaúcho após a negociação frustrada para o retorno do craque, e por ter sido trocado com o Santos por Elano.

Walter Montoya chegou ao clube no início deste ano, referendado pelas atuações com a camisa do Rosario Central, em 2016 – no Sevilla, da Espanha, e no Cruz Azul, do México, pouco jogou. No entanto, não conseguiu repetir o rendimento apresentado na Argentina. Foi utilizado no Grêmio como meia pelo lado direito, com a obrigação de fechar a lateral, sem ter tido chances em sua posição preferida, centralizado. Ele deixa o Tricolor com dois gols em 12 jogos disputados.


Comentários