Por Giovani Mattiollo
- Às 06:34
42

Foto: Matheus Beck

Buscando o equilíbrio entre a invencibilidade do Gauchão e a lanterna do grupo na Libertadores, o Grêmio não tem outra opção senão vencer o Universidad Católica, nesta quinta-feira, 19h, no Chile. É com este espírito que os jogadores querem entrar na partida e assim que eles esperam que o adversário encare, como uma decisão.

Após o empate sem gols contra o São Luiz, pelo Estadual, o grupo se reapresentou no CT Luiz Carvalho no começo da tarde. Tanto os jogadores que viajaram a Ijuí e retornaram ao meio-dia desta segunda-feira como os atletas do time titular que irá começar a partida na competição continental. Entre eles, o lateral Leonardo, que foi poupado no Campeonato Gaúcho e deve começar o jogo no Chile. O defensor não titubeou e assumiu que o Tricolor irá encarar uma partida da fase de grupos como uma decisão.

– É um jogo importante. Quando perdemos para o Libertad, sabíamos que seria mais importante ainda. Vamos estudar o adversário para explorar os pontos fracos deles também.

Com apenas um ponto em duas partidas, o Grêmio precisa vencer para manter viva a chance de se classificar para as oitavas de final. Se empatar, ainda tem a possibilidade de avançar, mas tornaria o caminho ainda mais tortuoso. Perder, então, está fora de cogitação.

– Tem que entrar com concentração dobrada. Não pode perder, tem que vencer. Se trata de uma final como outros jogos importantes no ano. A nossa mentalidade é essa – define Léo.

O lateral vai para o 13º jogo no ano. O terceiro na Libertadores – o mesmo número de atuações no torneio sul-americano do ano passado. Além disso, Leonardo já marcou dois gols em 2019, ao contrário de 2018, quando balançou as redes apenas uma vez. Sua evolução pessoal, no entanto, é para contribuir para o grupo. Ele não descarta sequer atuar como zagueiro, caso Renato Portaluppi precise improvisar.

– Fico feliz por isso. Estou evoluindo a cada jogo. Isso é pelo trabalho do dia a dia que coloco nos jogos – avalia. – Como zagueiro, é difícil, porque nunca joguei ali, mas se precisar estou à disposição.

De qualquer maneira, a comissão técnica acompanha a evolução de Pedro Geromel para aproveitar o zagueiro no miolo da defesa. Ele se recupera de um edema na coxa e aguarda os resultados dos exames para saber se irá viajar. Caso não possa jogar, o Grêmio não deve levá-lo, e Michel assume um lugar na zaga.

A certeza é que o time não deve mudar o estilo de jogo. Para Leonardo, o sistema utilizado nos últimos anos se mostrou vitorioso e deve ser mantido. Além disso, acredita que o enfrentamento será mais aberto do que os do Gauchão, o que pode facilitar a estratégia gremista.

– Temos que fazer nosso jogo de sempre. (A Universidad) é um time que propõe jogo, toca a bola. Aqui são 10, 11 jogadores atrás da linha da bola. Lá, o Universidad Católica vai sair e vamos ter chances – projeta.


Comentários