Por Giovani Mattiollo
- Às 11:05
31

Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Se não foi com o mesmo brilho das temporadas anteriores, ao menos o Grêmio voltou a vencer no Brasileirão. O Tricolor abdicou do “futebol bonito” e conseguiu o segundo triunfo no campeonato diante do Fortaleza, no Estádio Centenário, em Caxias do Sul. Uma vitória que quase não foi.

A partida se encaminhava para um tedioso 0 a 0 quando Jean Pyerre roubou a bola no meio de campo, conduziu por alguns metros e procurou Pepê nas costas da defesa. O garoto chutou cruzado, a bola desviou na defesa e entrou. Um gol que teve um significado gigante. Com ele, o Grêmio fugiu de ter uma das piores campanhas dentro de casa (perdeu dois jogos como mandante) e deixou a zona de rebaixamento. Não retorna a ela nesta rodada e, caso vença o Botafogo na seguinte, cumpre a meta de se aproximar da parte de cima da tabela antes da parada para a Copa América.

“Às vezes, joga bonito e não vence. Faz uma baita partida e não ganha. Hoje, fizemos uma boa partida, mas o mais importante foram os três pontos” .(Léo Moura)

A busca pela partida perfeita ficou no passado. Essencialmente, o técnico Renato Portaluppi quer retomar o estilo de posse de bola e de gols elaborados desde a defesa que tornaram-no enaltecido no Brasil inteiro. Porém, como o momento é crítico, abre mão desse jeito de jogar para assumir outro mais eficiente e menos brilhante.

— Nós somos culpados por ter viciado nosso torcedores a jogar bem, conquistar vitórias, títulos — brinca Renato. — De repente, quando não faz grande partida, as pessoas ficam desconfiadas com a equipe. Mas é uma coisa normal. No momento, esse que a gente vem passando, o mais importante é a vitória.

Renato Gaúcho mostra confiança na retomada no Brasileirão  — Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Renato Gaúcho mostra confiança na retomada no Brasileirão — Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Pausa para recuperar o grupo

Os resultados, mesmo com tropeços, são valorizados por Renato porque dão sobrevida ao Tricolor durante a para para a Copa América. A pausa será importante, segundo o treinador, para descansar quem enfrenta a sequência extenuante das últimas semanas e recuperar aqueles que estão lesionados há mais tempo. A ideia é que, à exceção de Marcelo Oliveira, todos os demais estejam à disposição ou próximos da forma ideal para a volta após a competição entre seleções.

— O torcedor pode ficar tranquilo, pode seguir tendo confiança. Sabemos onde estamos errando. É um fato: o Grêmio, depois da Copa América, vai vencer as partidas e vai brigar pelas primeiras posições — atesta Renato.

“Nós somos culpados por ter viciado nosso torcedores a jogar bem, conquistar vitórias, títulos” (Renato)

No Gauchão e na Copa do Brasil, nenhuma derrota gremista. Na Libertadores e no Brasileirão, somados, foram seis. Parece pouco, mas derruba o aproveitamento tricolor em 2019. Em oito rodadas do Campeonato Brasileiro, o Grêmio tem 33% de aproveitamento e saldo negativo, a metade do que conquistou somadas as quatro competições. Algo muito aquém do que o clube almeja para a temporada.

– Hoje, mais importante que o desempenho era o resultado. O Grêmio talvez não tenha feito uma grande partida, mas isso também passou pelo Fortaleza. Muito consciente o time do Rogério Ceni – admite o diretor de Futebol, Alberto Guerra.

Os jogadores que não atuaram em Caxias do Sul treinam na manhã deste domingo. Os demais, ganham folga. Na segunda, eles se reúnem para ajustar o entrosamento para o confronto com o Botafogo, quarta-feira, no Estádio Nilton Santos. Partida decisiva para manter a ascensão e aliviar a pressão de ver o puro-sangue tricolor nos últimos lugares do páreo por longas semanas até o retorno após a Copa América.


Comentários