Por Giovani Mattiollo
- Às 12:06
13

Foto: Eduardo Deconto

O pequeno Muriel se pendurou na grade do Estádio Monumental de Maturín, nesta terça-feira, para ver de perto o “melhor de todos ídolos”, Ramiro. Distante mais de 6 mil quilômetros de Porto Alegre, o volante gremista recebeu um carinho um tanto inesperado do garoto, com um cartaz em mãos. E o retribuiu em alto estilo. Não apenas pelo gol e pela atuação intensa na vitória do Grêmio por 2 a 1 sobre o Monagas, pela Libertadores.

Instantes após ser protagonista do triunfo sofrido que garantiu o Grêmio nas oitavas de final da competição continental, o camisa 17 percebeu a ansiedade do menino, ao deixar o gramado. Mesmo ainda “quente”, com adrenalina a mil pelo final de partida de tirar o fôlego, o gremista fez questão de cuidadosamente entregar nas mãos de Muriel a camisa empapada com o suor de quem correu à beça e ainda balançou as redes.

“Agradecer ao carinho da torcida aqui mesmo na Venezuela. Dentro de campo, a gente procura retribuir com entrega. Retribuir para todos os outros que vieram com a vitória que é o mais importante” (Ramiro).

Ramiro comanda Grêmio com gol em vitória e dá camisa de presente a fã

Verdade seja dita, Ramiro fez bem mais do que o gol nesta terça-feira. De volta ao time após cumprir suspensão no empate em 0 a 0 com o Inter, no último sábado, o volante se desdobrou para conduzir o time misto à vitória. O camisa 17 iniciou a partida como extrema pela direita, sua função habitual. Mas não foi raro vê-lo circulando por todo o setor ofensivo para tentar confundir a marcação rival e abrir espaços para a finalização. De quebra, ainda acabou o jogo como lateral-direito, após a substituição de Madson por Lima.

– Tivemos bastantes oportunidades de fazer o gol. Perdemos a oportunidade, por isso ficou dramático. Jogamos melhor, propondo o jogo, o campo dificultou. Dentro das dificuldades, encontramos espaços para vencer o jogo – analisa o volante.

Até porque era necessário. Sem seis de seus titulares, o Tricolor não viveu uma noite de atuação de luxo em Maturín, em grande parte pelo gramado castigado do estádio. O time teve a bola pra si durante quase toda a partida, é verdade, como de habitual. E até criou chances em contra-ataques e jogadas combinadas. Na primeira etapa, Alisson e Thonny desperdiçaram chances criadas dentro da área. No segundo tempo, Ramiro criou a boa chance ao “pifar” Maicosuel, que desperdiçou a oportunidade.

O tento veio quando o Grêmio pressionava o Monagas, mas não conseguia achar brechas na defesa rival para invadir a área e marcar. De fora da área, Ramiro chutou rasteiro e cruzado, de forma até despretensiosa. A bola rolou pelo gramado molhado e irregular até vencer mansamente o goleiro Baroja e se aninhar nas redes.

No final, nem mesmo o gol contra de Kannemann freou o ânimo do Grêmio. No embalo de Ramiro, o clube chegou a vitória, com gol de pênalti anotado por Jailson. Para alegria geral dos gremistas, e do pequeno Muriel, é claro.

Classificado, o Grêmio lidera o grupo 1 da Libertadores com 11 pontos somados. O Tricolor volta a Porto Alegre ainda na madrugada desta quarta-feira, em voo fretado. A próxima partida está marcada para o domingo, às 16h, no Durival Britto, contra o Paraná, pela 6ª rodada do Brasileirão.

Jailson marca contra o Monagas (Foto: Lucas Uebel / Grêmio, DVG)

Jailson marca contra o Monagas (Foto: Lucas Uebel / Grêmio, DVG)


Comentários