Por Giovani Mattiollo
- Às 12:02
45

Foto: Lucas Uebel / Grêmio / Divulgação / CP

O presidente do Grêmio, Romildo Bolzan Jr, buscou mobilizar time e torcida para o confronto de quarta-feira, contra o Rosario Central pela Libertadores. O dirigente reforçou o discurso de Renato Portaluppi, de que não há crise, mas disse que o clube “jogará tudo” para manter as chances de avançar no torneio continental.

Romildo descartou que haja algum problema de gestão ou métodos no vestiário gremista. “Foram principalmente questões de jogos, de más jornadas. Não fomos capazes de superar o adversário, mas não quer dizer que seja impossível”, analisou. “Encaminhamos um lugar na final (hoje) e vamos buscar o resultado na Libertadores quarta-feira”, projetou.

O dirigente explicou como foram os bastidores após a derrota para o Universidad de Chile. “A primeira coisa que fiz foi telefonar para o Duda (Kroeff) e estabelecer um processo de calma, de examinar ambiente, processos e tudo mais”, contou. “A partir daí, fiquei muito tranquilo. Tivemos jornadas ruins, situações que precisavam ser avaliadas. Foram analisadas adequadamente”, ponderou.

“Eu não fiz nada intervencionista. Fui conversando com todo mundo e achando caminhos, a partir do que ouvi”, lembrou Romildo. “O futebol tem sua cultura própria, com grupos fechados entre jogadores, comissão técnica, relacionamento com a torcida e direção. Qualquer coisa mal posta é um perigo”, reforçou o dirigente. “Avaliamos modos de melhorar os processos. Conversei de situações com o Duda e depois de todas as discussões, viemos trazer esse gesto de que estamos juntos e trabalhando para superar qualquer dificuldade.”


Comentários