Por Giovani Mattiollo
- Às 11:38
102

Foto: Wesley Santos

Mais mole era impossível”, atestou Renato Gaúcho na entrevista coletiva após a derrota do Grêmio para o Vasco por 1 a 0 na noite de sábado, pela 23ª rodada do Brasileirão. E foi justamente a imagem que os jogadores passaram durante os 90 minutos em São Januário. Superior na posse de bola, o Tricolor pouco assustou o time adversário, com uma postura passiva em campo. Desta forma, o treinador terá como missão dar uma “mexida” no vestiário para o jogo de quarta-feira contra o Botafogo, pelas quartas de final da Libertadores. Fora das quatro linhas, o clube mantém a apreensão para recuperar Geromel e Luan.

Com portões fechados no estádio vascaíno, o ambiente era ideal para o Grêmio vencer mais um duelo no Rio de Janeiro e se aproximar ainda mais do líder Corinthians no Campeonato Brasileiro. Mas a falta dos torcedores parece ter imposto o efeito contrário nos comandados de Renato. Em todo o primeiro tempo, a equipe controlou as ações, porém, esteve longe de finalizar com perigo.

Como consequência, levou o gol aos 42 minutos, em uma falha geral. Bruno Cortez cobrou um lateral, e Fernandinho deixou o marcador se antecipar. A bola respingou no meio de campo para Nenê, e Kannemann abandonou seu posto na zaga para tentar cortar. Em vão. Para preencher o buraco deixado pelo argentino, Cortez deu o bote no meia vascaíno e parou no lado inverso ao seu. Ramon recebeu na esquerda e cruzou para Mateus Vital fazer o marcar livre, justamente onde o lateral-esquerdo deveria estar.

À frente no placar, o Vasco diminuiu o ritmo e não foi importunado pelo adversário. Em contra-ataque no segundo tempo, quase ampliou o placar. Com o silêncio das arquibancadas, Renato foi flagrado em cobrança ao setor defensivo pela repórter do SporTV Monique Cardone: “Se a gente tomar mais um gol, vocês vão ver o que é bom pra tosse!”. A frase exemplificou o marasmo do Grêmio no gramado de São Januário.

– No futebol, às vezes um detalhe define o ânimo da partida, a disposição dos jogadores. Entraram talvez pensando que poderiam fazer a qualquer momento o gol. Os jogadores sabem quando vão bem, quando vão mal. Quarta-feira com certeza será um novo ânimo. Atuações como a de hoje (sábado) não vão se repetir novamente – cobrou o vice de futebol Odorico Roman.

Segundo levantamento do GloboEsporte.com, o time terminou o jogo com 13 finalizações, contra oito do Vasco. Apenas duas tornaram-se chances reais de gol. Na posse de bola, 61% a 39% para os gremistas. Foram 401 passes certos, diante de 213 do rival. A única forma de entrar na área transformou-se em 17 cruzamentos. Além disso, os jogadores foram desarmados 46 vezes e interromperam os lances dos cariocas em apenas nove oportunidades.


Comentários