O Grêmio está em contagem regressiva. Mesmo que ainda faltem três jogos até a parada da Copa América, o Tricolor já vislumbra o recesso de meio do ano como algo extremamente positivo. O excesso de lesões, a consequente ausência de titulares importantes e o cansaço do time poderão ser solucionados durante a pausa para a competição sul-americana. “Essa parada será importantíssima. Teremos tempo para treinar e, acima de tudo, recuperar os jogadores que estão no departamento médico”, diz o técnico Renato Portaluppi.

“São muitos atletas com lesão, falta entrosamento. Após a Copa América, com todos recuperados, o Grêmio vai voltar com força total, será outro time”, acrescenta o treinador. A lista de ausências para o jogo contra o Bahia, no sábado, em Salvador, ganhou mais dois nomes. Everton, que foi para a Seleção Brasileira, e Maicon, preservado, são os novos desfalques. Matheus Henrique, Alisson, Kannemann, Paulo Miranda, Bruno Cortez e Luan completam a extensa relação.

“É muita correria, a gente jogou quarta e ontem já viajamos. Agora é descansar bem porque temos um jogo importante”, avalia o zagueiro Rodriguez. A delegação desembarcou ontem no final da tarde na capital baiana. Com tantos desfalques, Renato Portaluppi deve começar a partida contra o Bahia com Thaciano e Diego Tardelli entre os titulares, nas vagas de Maicon e Everton. “O que mais me preocupa no momento é o cansaço”, admite o treinador. O confronto está marcado para este sábado, às 19h, em Pituaçu. 

Renato também pode ter que lidar com uma provável saída de Everton na próxima janela de transferências. O assédio de clubes europeus tende a aumentar nos próximos dias. Após a vitória sobre o Juventude na quarta-feira, o próprio jogador deixou o futuro em aberto e não garantiu sua permanência após a disputa da Copa América.

Na quinta, “Cebolinha” se apresentou ao técnico Tite, na Granja Comary, onde a Seleção Brasileira faz sua preparação. Com a visibilidade que poderá ter na Copa América, Everton ficará ainda mais cobiçado no mercado europeu. A multa rescisória para tirá-lo do Grêmio gira em torno de 80 milhões de euros. O Grêmio não deve abrir negociação por valor abaixo de 40 milhões de euros. 



Veja também