Por Giovani Mattiollo
- Às 12:13
1

Foto: Lucas Uebel / Grêmio / Flickr / Divulgação / CP

O Grêmio não vai mudar a política de contratações para 2019. O fato de o clube comemorar a boa saúde financeira não significa que a direção vai extrapolar nos gastos com novas aquisições de jogadores. A intenção é trazer de cinco a seis reforços em nível de titularidade, mas sem comprometer o equilíbrio das finanças.

“Não vai ser a temporada da ‘mão aberta’. O perfil de conduta do departamento de futebol não será alterado. A nossa filosofia segue sendo a mesma dos anos anteriores”, diz o presidente Romildo Bolzan Júnior. O clube vai vasculhar no mercado, prioritariamente, atletas que venham apenas pelos salários, sem que o clube tenha que arcar com valores altos pelos direitos econômicos.

“Nós temos crédito, criamos crédito, podemos trabalhar no custeio dos negócios, nos prazos dos contratos”, acrescenta Bolzan. O equilíbrio das contas, que tornou o Grêmio um clube com maior credibilidade no mercado, e o sucesso dentro de campo são fatores importantes nas negociações de atletas.

Primeiro reforço vai para o grupo de transição 

O Grêmio estuda uma possível troca com o Corinthians envolvendo Juninho Capixaba e Marinho. O lateral-esquerdo ficaria em definitivo na Arena, com o atacante indo para São Paulo, mas não há nada concreto. O primeiro reforço para o próximo ano chegará para o grupo de transição. É o meia Guilherme Dantas, de 20 anos, que atuava pelo Juventus-SP e tem passagem pela base do Benfica, de Portugal. O Tricolor vai seguir o exemplo deste ano e escalar o time de transição nas primeiras rodadas do Campeonato Gaúcho de 2019. A intenção é prolongar a pré-temporada do elenco principal.


Comentários