Por Giovani Mattiollo
- Às 06:26
1

Foto: Fabiano do Amaral

A derrota para o Palmeiras na Arena não abalou o vestiário gremista. Jogadores, comissão técnica e dirigentes têm o discurso ajustado de que é preciso ter mais competência nas chances criadas, principalmente nos jogos em casa, já que a equipe tem campanha de Z-4 como mandante. E isso passa por afinar a definição nos “últimos metros” do campo.

Logo após sofrer o 2 a 0 na última quarta-feira, Renato Gaúcho admitiu na entrevista coletiva que, em certos momentos de ataque, o time tem ras escolhas erradas. Mesmo assim, o treinador mantém a confiança intacta no desempenho, justificado pelos 66,6% de aproveitamento longe de Porto Alegre.

– A gente precisa ter mais tranquilidade, não foi só nesse jogo. Às vezes, no último passe, na finalização, temos tomado a decisão errada. É procurar caprichar um pouco mais. Mas não vamos lamentar. Eu vou me preocupar quando a equipe jogar mal e não criar. O Grêmio jogou bem de novo – reiterou o técnico.

“A gente tem conseguido vitórias fora de casa e, na frente da torcida, não. Poderia ter nos levado para a liderança (do Brasileirão). Mas temos que dar os méritos para o adversário (Palmeiras). Foram mais felizes porque tiveram mais competência na hora de fazer os gols. Vida que segue” (Renato Gaúcho)

A responsabilidade é dividida pelo grupo de jogadores. Apesar de não ter a incumbência principal de atacar, o zagueiro Kannemann crê que todos podem dar o chamado “algo a mais”. Além da análise dos lances das partidas, há o pensamento de que o rendimento pessoal precisa ser superado.

– (Falta) Um pouco de competência nos últimos 10, 15 metros do campo. O Renato falou que temos decidido a jogada errada. Faltou o gol. Mas é um pouco erro de todo mundo, podemos ter uma bola aérea mais agressiva, por exemplo. Não só os jogadores da frente, mas também quem vai à frente. É cada um ver o que pode melhorar nesses últimos metros para colocar a bola no gol – reforça o defensor.

Renato Gaúcho, técnico do Grêmio (Foto: Lucas Uebel / Grêmio, DVG)

As falhas ofensivas mantêm o Grêmio com uma média de cerca de 13 finalizações até balançar as redes adversárias. Soma 128 chutes em 10 jogos e marcou 10 vezes. A falta de eficiência é justificada pelas quatro partidas em casa que os comandados de Renato saíram de campo em branco – 0 a 0 com Atlético-PR, Inter e Fluminense e derrota de 2 a 0 para o Palmeiras.

– A gente entrou desligado. Desde o começo do jogo, ficou nítido. A equipe deles pressionando e deu no que deu. Não esperávamos esse tipo de jogo na nossa equipe, tão abaixo. A equipe deles mereceu a vitória. A derrota foi justa – acrescentou Everton depois do revés para o Palmeiras.

Sem tempo para lamentar, o Tricolor volta aos treinos na manhã desta sexta-feira no CT Luiz Carvalho. No sábado, Renato definirá o time em trabalho fechado, também pela manhã. No domingo, os gaúchos recebem o América-MG, às 16h, pela 11ª rodada do Brasileirão. O Grêmio é sétimo na tabela, com 16 pontos.


Comentários