Grêmio lida com instabilidade em momento decisivo

Tricolor tem oscilado na Copa do Brasil e na Libertadores

Por Giovani Mattiollo
- Às 12:23
4
Foto: Ricardo Giusti

Prestes a completar dois anos no comando técnico do Grêmio na sua terceira passagem pelo clube como treinador – foi contratado em setembro de 2016 –, Renato Portaluppi vê o time em seu momento de maior irregularidade. Nem tanto pelos resultados, mas pela maneira como a equipe vem atuando após a parada da Copa do Mundo. Com exceção dos duelos com Atlético-MG e São Paulo, nos quais teve vitórias convincentes pelo Brasileirão, o Tricolor vem oscilando, principalmente nas competições de mata-mata.

Os dois principais objetivos da temporada, de acordo com o planejamento do clube, são Copa do Brasil e Libertadores da América. E justamente contra Flamengo e Estudiantes, a equipe deixou o torcedor preocupado. Se antes o Grêmio era implacável nos jogos de ida e encaminhava a classificação, agora terá de correr atrás do prejuízo nos dois casos. “O Grêmio não vai fazer a primeira partida fora e ganhar sempre”, disse Renato após a derrota para o Estudiantes de La Plata. “Em Porto Alegre, a história vai ser diferente”, garante o treinador.

A alternância entre boas e más atuações coincide com a saída de Arthur e a queda técnica de jogadores importantes, como Ramiro e Luan. A escalação de Cícero e Maicon como dupla de volantes também vem sofrendo contestações. Nos próximos dias, Renato poderá ter Michel à disposição, jogador com maior poder de marcação.

Michel sofreu uma séria lesão muscular ainda antes da parada da Copa e não conseguiu retornar. Na próxima quarta-feira, o Grêmio decide a vaga na semifinal da Copa do Brasil diante do Flamengo, precisando vencer no Rio de Janeiro para se classificar, já que empatou em 1 a 1 na Arena. No dia 28, necessita de uma vitória por 1 a 0 sobre o Estudiantes para ir às quartas da Libertadores.

Veja também

Comentários