Por Giovani Mattiollo
- Às 06:19
25

(Foto: Lucas Uebel / Grêmio, DVG)

O Grêmio deixa Quilmes, nas cercanias de Buenos Aires, em desvantagem para decidir na Arena o duelo das oitavas de final da Libertadores, após a derrota por 2 a 1 para o Estudiantes, na noite desta terça-feira. O resultado deixa sabor amargo aos gremistas, que batalharam com um a mais pelo empate até o último minuto. Mas o gol marcado por Kannemann reduz o prejuízo e alimenta as esperanças por vaga nas quartas de final.

Em entrevista à Fox Sports após a partida, o zagueiro argentino admitiu que os donos da casa tiveram uma primeira etapa superior, a ponto de construir 2 a 0 no placar, graças a um golaço de Apaolaza, logo aos 8 minutos, e ao gol de Campi, aos 37. Mas o defensor também vibrou por seu tento, que deixa “tudo aberto” para a volta.

– Primeiro tempo foram bastante melhor. Fizeram um golaço e depois uma bola parada. Depois disso, conseguimos entrar no jogo, um campo pequeno. Conseguimos um gol que deixa tudo aberto – ressalta o defensor.

Cícero, por sua vez, lamentou que a equipe foi vazada após um “bate e rebate” em que a bola sobrou para Apaolaza acertar um chutaço no ângulo de Marcelo Grohe. De acordo com o meia, será preciso fazer “diferente” na Arena para ficar com a vaga.

– A gente começou mandando no jogo. Mas no bate-rebate a bola sobrou no cara que acertou o chute. Depois, tomamos um gol de bola parada que há tempo a gente não tomava. Agora vamos esperar o segundo jogo lá para fazer diferente – analisa Cícero.

Após a derrota em Quilmes, o Grêmio avança às quartas de final da Libertadores com uma vitória simples por 1 a 0 no duelo da volta,marcado para o próximo dia 28, às 21h45, na Arena – um novo 2 a 1, mas favorável aos gremistas, leva a decisão aos pênaltis Antes, o Tricolor enfrenta o Vitória neste domingo às 19h, em casa, pela 18ª rodada do Brasileirão, mas com time reserva, já de olho na decisão com o Flamengo, pela Copa do Brasil, no Maracanã, na quarta-feira seguinte.


Comentários