Por Giovani Mattiollo
- Às 06:26
37

Eduardo Deconto

Bastou ter seu nome anunciado no sistema de som do Beira-Rio para Everton perceber que teria recepção especial dos torcedores durante a vitória por 7 a 0 do Brasil sobre Honduras, em amistoso na tarde deste domingo. Na casa do maior rival, Inter, o atacante deu clima de Gre-Nal ao último teste da Seleção antes da Copa América.

O representante do Grêmio no elenco de Tite despertou um misto de vaias dos colorados e aplausos dos gremistas a cada toque na bola. O volume das reações variava.

Ainda no anúncio das escalações, os gremistas superaram o chiado dos rivais com aplausos – Everton foi o mais aplaudido neste momento. Depois, os colorados conseguiram fazer ressoar vaias ao gremista, que tirou “de letra”.

Em campo, atacante deu resposta com assistência para Richarlison fechar a conta da goleada por 7 a 0. Depois, na zona mista, minimizou as vaias e disse ter se concentrado apenas na partida.

– Numa boa. O professor sempre pede concentração e não deixar com que coisas externas nos atrapalhem. O treinamento de ontem (sábado) foi um exemplo disso. Pude levar isso para dentro de campo. Deu para tirar de letra. Hoje, foi melhor. Estava mais solto. No dia a dia, a gente vai se adaptando. É um jogo diferente, mais intenso – diz o atacante.

Futuro aberto após Copa América

Além da recepção da torcida, Everton também falou do futuro no Grêmio. E voltou a deixá-lo aberto. No radar de grandes clubes europeus, o atacante disse que o desempenho na Copa América pode ser crucial e definitivo para selar uma eventual saída do Grêmio.

O Manchester City é um dos clubes interessados pelo atleta e já sinalizou com possibilidade de desembolsar até 30 milhões de euros em uma consulta informal ao estafe do atacante. Não há qualquer proposta oficial até o momento.

– Está muito aberto. (A Copa América) é uma competição de muita visibilidade vai depender do meu rendimento. Sei que se fizer grandes jogos, vão aparecer clubes da Europa. Às vezes, fica inevitável. Futebol é muito momento. Se tiver oportunidade, vou sentar. Se for bom para mim e para o Grêmio, vamos analisar – diz o atacante.

Após substituir Neymar contra o Catar, Everton voltou à reserva neste domingo e viu David Neres corresponder com gol diante de Honduras. O atacante entrou no segundo tempo na vaga de Coutinho e deve se manter como opção de Tite no banco para a estreia na Copa América, na sexta-feira, contra a Bolívia, no Morumbi.


Comentários