Por Giovani Mattiollo
- Às 12:07
26

Talvez se Renato Gaúcho tivesse escrito tudo, não seria tão perfeito. O Grêmio renasceu na Libertadores com a vitória por 3 a 1 sobre o Rosario Central, teve uma boa atuação e se reencontrou em campo. De quebra, ainda contou com a ajuda do Libertad, que virou para cima da Universidad Católica, e ganhou um fio de esperança no Grupo H.

A noite de “seis pontos” nasceu dos pés dos jovens Jean Pyerre e Matheus Henrique e com a participação especial de Leonardo. O último ponto é a confiança retomada para as finais do Gauchão, contra o Inter, a partir do próximo domingo. Ou, conforme qualificou o vice de futebol Duda Kroeff, um renascimento.

Os minutos iniciais do jogo na Arena, no entanto, levavam a um cenário totalmente distinto. O gol da Católica no Chile e o 0 a 0 insistente no placar em Porto Alegre eliminavam o Grêmio. Não durou muito.

No apagar das luzes do primeiro tempo, o Libertad virou a partida e levou os torcedores gremistas à loucura. O estádio, com seus 30 mil torcedores, passou a pulsar mais e exercer pressão. A essa altura, o Tricolor já vencia por 1 a 0.

Mais do que resultado, vitória eleva confiança e traz bom desempenho — Foto: Eduardo Moura / GloboEsporte.com

Mais do que resultado, vitória eleva confiança e traz bom desempenho — Foto: Eduardo Moura / GloboEsporte.com

vitória, aliada ao sucesso dos paraguaios, traz não só a possibilidade de classificação em segundo lugar do grupo – embora uma vitória no Paraguai, contra o Libertad, seja quase imperativa -, mas também um ânimo diferente antes dos Gre-Nais da final do Gauchão.

– Tínhamos que fazer nossa parte hoje e torcer lá para seguir vivo na competição. Uma coisa leva a outra. Um resultado negativo hoje traria desconfianças. Voltamos com muita força a Libertadores e mais do que nunca, a confiança total para disputar a final no domingo. O torcedor está mais alegre e nós mais felizes neste momento decisivo – apontou Renato.

“Quando a classificação na fase de grupos é mais difícil, a confiança aumenta. Acho que a gente renasce e vem com tudo. Se a gente classificar e, parece que os astros estão se armando para isso, estaremos muito mais fortes” (vice de futebol Duda Kroeff

Matheus Henrique e Jean Pyerre ajudaram a melhorar rendimento — Foto: Eduardo Moura/GloboEsporte.com

Matheus Henrique e Jean Pyerre ajudaram a melhorar rendimento — Foto: Eduardo Moura/GloboEsporte.com

Descontado o nível do Rosario Central, o Grêmio voltou a apresentar um bom desempenho na Arena. Com a presença de Matheus Henrique ao lado de Maicon, o meio-campo teve mais mobilidade e pressionou mais rapidamente os adversários quando a bola era perdida.

Jean Pyerre também esteve em noite iluminada, com gol e assistência, e por vezes se alinhou a Maicon e Matheus como um volante pela esquerda. André foi um dos nomes positivos e teve participação ativa no ataque ao segurar zagueiros, servir de apoio e criar espaços. Os principais nomes do jogo foram as mudanças feitas por Renato no time.

– Quando as coisas não dão certo, o treinador precisa mexer para ver se a equipe reage. O Grêmio das outras duas partidas não é o Grêmio. Mas isso não quer dizer que quem não jogou é culpado. Tínhamos que dar um choque, digamos assim, no grupo. E ele correspondeu – explicou o treinador.

Com um ou outro ajuste, esta parece ser a formação titular do Grêmio para o restante dos compromissos. E traz mais tranquilidade ao torcedor em comparação com os jogos anteriores da Libertadores. O Tricolor volta a treinar na tarde desta quinta-feira, no CT Luiz Carvalho, antes do confronto com o Inter, no domingo, no Beira-Rio. A segunda partida será na quarta, na Arena.


Comentários