Por Giovani Mattiollo
- Às 06:27
1

Um dos destaques do Grêmio pela Copa RS sub-20 é o atacante Da Silva. Autor de cinco gols em quatro jogos, o carioca de 19 anos também prestigiou a competição fora das quatro linhas e bateu um papo com o GloboEsporte.com enquanto assistia ao duelo entre Botafogo e Racing-ARG. Hoje uma das principais promessas da base gremista, o centroavante relembrou o início da carreira, dificuldades e o momento em que precisou “virar a chave”, quando chegou a ficar acima do peso.

O momento mais complicado da curta carreira, até então, foi no ano passado. Da Silva viu seu rendimento baixar dentro de campo. O motivo estava fora. Mal fisicamente, descuidou do peso e não se atentou para a alimentação. Junto com o Grêmio, o jovem colocou na sua cabeça que precisaria mudar, se quisesse seguir o sonho de ser um jogador profissional.

– Estava mal fisicamente. Horrível, gordo, acima do peso. Aquilo ali me atrapalhou muito no meu rendimento, estava muito abaixo – recorda o atacante.

Para reverter a situação, o centroavante precisou fazer um trabalho especial em conjunto com profissionais do clube. Ouviu nutricionista, psicóloga, treinadores e fez um intensivo para perder peso. Foi um momento apontado como complicado pelo jogador, mas necessário para que retomasse o bom rendimento.

– Me deixaram “preso” um mês no alojamento, para eu focar e baixar o peso. Fiquei com raiva no começo, mas agradeço hoje. Foi importamente para mim. Minha cabeça mudou totalmente. Naquele momento, percebi e pensei comigo que tinha que mudar. Dar a volta por cima – conta.

Expectativa para 2019

Da Silva tem quatro gols na competição — Foto: Lucas Bubols/GloboEsporte.com

Da Silva tem quatro gols na competição — Foto: Lucas Bubols/GloboEsporte.com

Da Silva é uma das joias das categorias de base do clube gaúcho. O atacante tem chamado atenção na Copa RS sub-20. Mesmo com o bom desempenho, a meta é seguir trabalhando e estar preparando quando for chamado para integrar o grupo principal. Neste ano, o jovem chegou a participar de treinamentos contra titulares e reservas no CT Luiz Carvalho.

– Fico feliz pela minha boa fase aqui no Grêmio. Venho trabalhando muito, faz tempo. A comissão e a direção me cobram muito. Venho melhorando cada vez mais, para quando o professor Renato precisar de mim, eu esteja o melhor possível na parte física e técnica.

Como o Grêmio está classificado para a fase de grupos da Libertadores, a projeção para o início de Gauchão é usar a equipe sub-23. Com um bom desempenho, Da Silva, atualmente no time sub-20, poderia subir para o profissional e pegar “experiência” no grupo que disputa o Estadual em 2019.

– Tenho muita vontade de subir. Nas poucas vezes que treinei, é muito bom estar lá, é diferente. Quero já viver o ambiente deles, pegar esta experiência. Se Deus quiser, estar no profissional em 2019 – sonha o centroavante, que vem chamando atenção na Copa RS. – Venho fazendo minha parte, me destacando, graças a Deus, fazendo meus gols. Se algum clube estiver interessado, deixo para a família e empresários decidir. Tento focar mais em campo. Não sonho lá fora ainda, quero primeiro subir ao profissional do Grêmio, subir e vestir a 9 do profissional do Grêmio.

Início no Rio

Natural de Duque de Caxias (RJ), na comunidade de Vila Operário, Da Silva começou a jogar futsal com nove anos, pelo Clube dos Quinhentos. Com boas atuações nos campeonatos internos, chamou a atenção num jogo especial em que marcou três gols. Foi contra o Securitários, cujo técnico também treinava as categorias de base do Fluminense.

– Ganhamos de 5 a 3 e eu fiz três gols. Ele (o técnico) fez o convite para eu ir para o Fluminense, jogar no campo. Fiz o teste, passei e aí começou a trajetória – relata.

Durante um tempo, sua rotina era: estudar pela manhã, treinar à tarde pelo Flu e à noite ainda jogar futsal. Foram sete anos assim no Tricolor carioca, até que aos 16 anos veio o convite do Grêmio. Em 2017, ele trocou o Rio por Porto Alegre e passou a se destacar na base gremista.


Comentários