O Grêmio não desiste de André. Pelo contrário. Apesar do desempenho oscilante neste pouco mais de um ano e meio de clube, o departamento de futebol acredita que há uma cobrança demasiada sobre o centroavante. A confiança é tamanha que até mesmo seu início no Santos, em 2010, é lembrado pela diretoria.

No último sábado, no empate em 0 a 0 com o Corinthians na Arena, André foi uma das surpresas promovidas por Renato Gaúcho. O técnico o escalou entre os titulares, e Diego Tardelli ficou no banco de reservas. Em campo, apesar da luta, pouco acrescentou. Ao longo dos 70 minutos em que atuou, deu um chute a gol, acertou sete passes e errou um.

– Eu acho que ele pode jogar mais, já o vi jogar mais. Acho que não joga tão mal como alguns dizem. E falo de torcedores, não da imprensa. Mas espero mais. Lembro do André contra mim em 2010 e era difícil segurá-lo. No Sport também foi bem – pondera o vice de futebol Duda Kroeff.

A última vez em que balançou as redes ocorreu no dia 26 de setembro, na goleada por 6 a 1 sobre o Avaí. André tem dois gols em oito partidas pelo Brasileirão. No ano, são sete em 40 jogos. Os números, entretanto, não preocupam o clube. O técnico Renato Gaúcho inclusive comparou seu momento com o de Nico López, do Inter, que ficou 24 partidas sem marcar.

– (Escalei) Porque eu sou o treinador. Essa perseguição pelo André de vocês da imprensa… Teve um jogador do Inter que ficou 20 jogos sem fazer gol, mas não falavam nem 10% dele. O André foi escalado porque o Tardelli estava com a perna muito pesada – justificou o técnico Renato Gaúcho.

A mudança entre Tardelli e André também afeta a característica do time. Mais móvel, o camisa 9 não se restringe a trombar com os zagueiros. Já André prende mais a atenção dos rivais e abre espaço para a chegada dos companheiros.

– Com o Tardelli, ganho em qualidade e movimentação. O André tem característica diferente. Tem horas que vai jogar o André. Ele faz parte do grupo. O Tardelli não jogará todas. Essa que é a realidade. Está na hora de parar de querer perseguir jogador aqui e ali. O André continuará nos ajudando. Quando eu achar que tem que jogar, jogará – completou Renato.

Apesar do carinho de Renato, André também sofre contestações por parte da torcida. Contratado por 2,5 milhões de euros (cerca de R$ 10 milhões à época) junto ao Sport, não conseguiu ser o mesmo diferencial dos tempos no Recife.

Com o suporte de direção e comissão técnica, André trabalha para seguir com oportunidades e deslanchar no Grêmio. Nesta quarta-feira, há nova chance. O Tricolor enfrentará o Ceará no Centenário, em Caxias do Sul. A partida está marcada para as 21h.



Veja também