Por Giovani Mattiollo
- Às 06:33
4

Camila Domingues / Agencia RBS

O novo camisa 9 do Grêmio é Diego Tardelli. Como em uma espécie de passagem de bastão, o número foi entregue por Jael, que está de saída para o FC Tokyo, ao atacante de 33 anos, que foi recebido pela torcida no aeroporto Salgado Filho, passou por exames médicos, assinou contrato de três anos e foi apresentado pela direção. Tudo na tarde desta quarta-feira (13).

— A 9 vem dando sorte tem um bom tempo, desde a época do Atlético-MG. Também usei na China. O Jael aprontou essa para mim no vestiário (do CT Luiz Carvalho). Com a saída dele, teve essa chance e espero representar — contou Tardelli.

O jogador agora trabalhará junto ao preparador físico Rogério Dias, que tentará colocá-lo à disposição do técnico Renato Portaluppi para a estreia na Libertadores contra o Rosario Central, na Argentina, em 6 de março.

— Estou parado há mais de dois meses, minha última partida foi em 30 de novembro. Nas férias, a gente corre, mas não é um treino intensivo como nos clubes. Vou ter uma conversa com o preparador amanhã (quinta), mas deve demorar duas ou três semanas. Meu porte físico ajuda. Como sou magrinho, fica mais fácil — comentou o atacante.

Duas figuras foram fundamentais para o acerto com o Grêmio. O lateral-direito Léo Moura iniciou os contatos com o atacante, que depois foram intensificados por Renato. Com certa insistência, o treinador, que já havia tentado sua contratação em 2010, enfim convenceu Tardelli a vestir a camisa tricolor.

— Pesou o interesse dele, a persistência me ligando e mandando mensagem toda a hora: “Resolveu, vai vir?”. De todos os clubes que fizeram sondagens, o Grêmio, principalmente graças ao Renato, foi o que mais me convenceu e mais me quis. Isso veio do próprio Renato, que é o mais bacana. Tenho certeza que vamos dar certo — disse.

O novo camisa 9 do Grêmio também se diz ansioso para jogar seu primeiro Gre-Nal. Por isso, Tardelli promete trabalhar intensamente sua parte física para estar em campo no clássico que ocorrerá em 17 de março, na Arena.

— Joguei grandes clássicos aqui no Brasil, na Europa e sei o quanto é importante a rivalidade Gre-Nal. Nunca acompanhei de perto, mas tenho amigos que sabem do fanatismo que é. Por isso, quero me preparar o mais rápido para, quem sabe, estar disputando e, se Deus quiser, estrear em Gre-Nais com vitória — projetou.

Foi com festa da torcida que Tardelli desembarcou às 13h30min na Capital para assinar com o Grêmio. O atacante, que estava em Itapema, no litoral catarinense, onde tem residência, tinha embarcado no aeroporto de Navegantes, às 13h, em voo fretado pelo seu empresário, Giuliano Bertolucci. Quando o jogador surgiu no portão 8 do Salgado Filho, às 13h50min, na avenida Sertório, cerca de 500 torcedores, que o aguardavam com bandeiras, faixas e instrumentos, foram ao delírio. Com camisa preta, o jogador logo recebeu uma regata azul de integrantes de uma organizada e a vestiu. Também tirou fotos e aplaudiu os presentes. Depois, manifestou-se à GrêmioTV antes de embarcar em uma van do clube.

— Esse carinho não tem preço, não esperava que ia ter tantos torcedores. Isso é só o começo — disse Tardelli.

Minutos depois, o atacante já estava no CT. Foi recebido pelos diretores Deco Nascimento e Alberto Guerra antes de conhecer o vestiário e realizar exames médicos e avaliações físicas. Em seguida, conheceu os novos companheiros e vestiu uniforme de treino para ir ao gramado, onde realizou sua primeira atividade como jogador do Grêmio: uma corrida ao redor do campo. Antes de ser apresentado, Tardelli assinou, na parte administrativa do CT, vínculo de três anos com o clube.

— Espero corresponder para a torcida, o presidente e o clube, todo este esforço feito para me trazer. Estou feliz por voltar ao Brasil e começar um ciclo no Grêmio, que tem uma equipe montada e briga por títulos todos os anos. Fiz a escolha certa — avaliou o novo camisa 9 tricolor.


Comentários