Por Giovani Mattiollo
- Às 06:39
6

Jefferson Botega / Agencia RBS

Para se recuperar da quarta derrota no Campeonato Brasileiro, o técnico Renato Portaluppi terá alguns desafios para trabalhar a equipe do Grêmio nesta semana e montar a escalação que irá a campo no próximo sábado (8), contra o Fortaleza, no Estádio Centenário, em Caxias do Sul. Com a suspensão de Juninho Capixaba, que levou o terceiro cartão amarelo da partida diante do Bahia, a lateral esquerda é o principal problema.

O titular, Bruno Cortez, está sem jogar desde a vitória sobre a Universidad Católica, pela última rodada da fase de grupos da Libertadores, em 8 de maio. Naquela partida, ele sofreu uma distensão no músculo adutor da coxa esquerda e ainda se recupera da lesão. O atleta já voltou aos treinamentos e fez corridas ao redor do gramado do CT Luiz Carvalho na tarde de segunda-feira, mas ainda é dúvida para o duelo do fim de semana.

— Ele está fazendo alguns trabalhos ainda, de reforço muscular e fisioterapia, mas é possível que possa retornar aos treinos normalmente nesta semana — afirmou o médico do Grêmio Paulo Rabaldo.

Logo após a derrota no Pituaçu, Renato confirmou que Cortez poderá aparecer no time que enfrentará o Fortaleza. No entanto, disse que ainda era cedo para saber a real condição do atleta. Sem o reserva imediato, a terceira opção seria Guilherme Guedes. O garoto de 20 anos, no entanto, retornou de lesão na semana passada. Ele entrou em campo aos 17 minutos do segundo tempo da vitória gremista sobre o Sport, na sexta-feira, pela segunda rodada do Brasileirão de Aspirantes.

Assim, é possível que o treinador tenha de improvisar. Uma das possibilidades seria a utilização de Leonardo Gomes na esquerda, com a entrada de Léo Moura ou Rafael Galhardo na direita. A outra, a colocação de Michel no setor, que chegou a atuar na posição nos tempos de Atlético-GO. O problema, neste caso, é que o volante sentiu dores durante a partida contra o Bahia e precisará ser reavaliado ao longo da semana.

— Tem que ver quem já atuou nessa função. Se nunca jogou pelo lado esquerdo do campo, acho temerário colocá-lo por ali. Caso o Cortez não possa mesmo jogar, colocaria o Michel, até pela qualidade e imposição física que tem. Ele é canhoto, já jogou por ali, conhece os demais jogadores e não sentiria o peso da partida — avalia o ex-lateral-esquerdo do Grêmio Casemiro Mior, multicampeão pelo clube nos anos 1980.

No treino de segunda-feira à tarde, também estiveram no campo Luan e Alisson. A dupla está recuperada de lesão e poderá aparecer ao menos no banco de reservas contra o Fortaleza.

A dúvida, neste caso, é: quem será o escolhido de Renato para jogar na meia pela direita? Se estiver 100%, a tendência é de que Alisson retome a titularidade. Mas, caso o jogador ainda não tenha condições físicas, são muitas as alternativas: Montoya, Thaciano, Tardelli, Vico e Pepê. Para o ex-atacante Cláudio Pitbull, campeão da Copa do Brasil pelo Grêmio em 2001, esse é um problema bom para o treinador.

— É um quebra-cabeça legal para o Renato, porque ele tem boas opções. O problema é quando não se tem jogadores de qualidade, mas o Grêmio está bem servido — destaca Pitbull, que elegeu o seu favorito:

— Claro que o Cebolinha é o melhor, mas sem ele e com essa indefinição na esquerda, acho que o Tardelli pode aparecer por ali. Ele é um grande jogador e vai agregar ainda mais qualidade à equipe.

Quem atuou pelo lado direito na derrota para o Bahia, no sábado passado, foi Walter Montoya. Até agora, o argentino disputou 11 partidas pelo clube e marcou dois gols, mas ainda não conseguiu se firmar no time. Em busca de mais espaço, ele se colocou à disposição para atuar em qualquer função.

— Sempre joguei de volante mais pelo meio. Falei isso ao Renato. É claro que tem que ver o que ele pensa. Tenho de dar o máximo. Posso errar em alguma coisa, mas não pode faltar entrega, dedicação. Então é isso, eu falei o que penso, a posição onde tive rendimento melhor. Mas tenho de dar o máximo, correr o que for possível onde for escalado — salientou o castelhano.

SITUAÇÃO DO DM

Alisson

Último jogo: 1 a 0 no Atlético-MG, em 25 de maio

O problema: sofreu uma pancada no tornozelo direito.

A previsão: está liberado pelo departamento médico. Depende da parte física para ser escalado. É dúvida para sábado.

Luan

Último jogo: 0 a 0 com o Corinthians, em 11 de maio

O problema: estiramento muscular.

A previsão: voltou a trabalhar com bola e pode ser relacionado para o próximo jogo.

Cortez

Último jogo: 2 a 0 na Universidad Católica, em 8 de maio

O problema: distensão muscular na coxa esquerda.

A previsão: já foi liberado para correr, mas ainda faz trabalhos de reforço muscular e fisioterapia para ficar 100%. É dúvida para sábado.

Kannemann

Último jogo: 0 a 0 com o Corinthians, em 11 de maio

O problema: trauma na terceira vértebra lombar em um treino.  

A previsão: só voltará a jogar após a Copa América.

Paulo Miranda

Último jogo: 1 a 0 no Inter, em 17 de março

O problema: lesão muscular na coxa esquerda. Ele chegou a se recuperar, mas foi utilizado em um jogo-treino no dia 18 de maio e voltou a sentir dores. Assim, foi submetido a novo tratamento.

A previsão: só voltará a jogar após a Copa América.

Maicon

Não está lesionado. Vinha de três partidas seguidas atuando os 90 minutos e foi preservado contra o Bahia. Sem nenhuma lesão diagnosticada, deve retornar normalmente à equipe que irá a Caxias do Sul enfrentar o Fortaleza.


Comentários