Por Giovani Mattiollo
- Às 16:46
4

Matheus Beck

Rafael Galhardo teve, em 2015, o melhor ano de sua carreira. A avaliação foi feita pelo próprio atleta. Porém, os 49 jogos em que atuou e os dois gols devem ficar aquém de 2019. A projeção também é feita pelo novo lateral-direito do Grêmio.

Apresentado com a camisa 42, a mesma que usava quando se profissionalizou pelo Flamengo, Galhardo promete se entregar todos os dias para concorrer com Leonardo e Léo Moura pela titularidade da posição. A reestreia, porém, não será neste sábado, na Arena, contra o São José.

– Conversei com o Renato e optamos por segurar um pouco – explica. – Estava treinando no Vasco, mas não estava fazendo coletivo nem jogos maiores. Por risco de lesão, preferimos priorizar a parte física e ter mais tempo com o grupo para poder fazer a estreia.

Rafael Galhardo foi apresentado com a camisa 42 — Foto: Matheus Beck

Rafael Galhardo foi apresentado com a camisa 42 — Foto: Matheus Beck

O jogador de 27 anos chega por empréstimo do Vasco e assina contrato até o final da temporada para iniciar sua segunda passagem pelo clube. Em Porto Alegre desde quarta-feira, Galhardo passou por exames médicos e já treinou com os companheiros pela manhã, no CT Luiz Carvalho. Aliás, o novo “velho” reforço revelou amizade e inspiração no veterano lateral gremista.

– O Léo me acolheu muito bem no Flamengo. Foi um ídolo, uma referência. Era o titular na posição, quando subi, então me espelhava muito nele. Mantemos contato e posso dizer que chamo ele de amigo. É um cara que dia a dia liga, manda mensagem. Sem falar da qualidade (em campo).

Os elogios se estendem ao outro concorrente:

– O Leonardo venho acompanhando. Está fazendo grandes partidas, se afirmando. Espero que seja uma concorrência saudável. Quem estiver melhor vai jogar. Temos quatro competições, tem espaço para todo mundo.

De volta ao Grêmio, “a minha casa”

O clube conhece bem o jogador de 27 anos, que passou pela Arena em 2015, quando foi titular. Não permaneceu por um desacerto financeiro com o Santos. Na época, o pedido era de 1 milhão de euros para o Tricolor tê-lo em definitivo.

Galhardo tem o sobrenome tatuado no braço — Foto: Matheus Beck

Galhardo tem o sobrenome tatuado no braço — Foto: Matheus Beck

Depois de deixar o Tricolor, Galhardo rumou para o Anderlecht, da Bélgica. Seis meses depois, foi para o Athletico-PR por empréstimo, passou pelo Cruzeiro e, por fim, ao Vasco na temporada passada. Nesse tempo, não entrou em campo nem próximo das vezes em que atuou com a camisa tricolor. No entanto, ele acredita que os “serviços prestados” de nada servirão se não comprovar nesta temporada.

– Tem que provar jogo a jogo. Fiz um grande ano em 2015, mas, se não me dedicar, nada disso vai valer. Vou me preparar bem. Estou muito feliz, muito motivado. Voltando à minha casa. Espero ter o mesmo sucesso ou mais – projetou.

O jogador é o sexto reforço da temporada. Antes do lateral-direito, o Grêmio já tinha contratado o goleiro Julio César, o volante Rômulo, o meio-campista Walter Montoya e os atacantes Felipe Vizeu e Diego Tardelli. A direção busca mais um zagueiro para fechar o grupo.


Comentários