A terceira partida da equipe considerada titular do Grêmio no ano foi regular. Em alguns pontos até péssima. Mesmo que na Argentina, contra um adversário bom e uma arbitragem horrível, o Tricolor poderia ter vencido tranquilamente.

Renato escalou mal (de novo). Cícero saiu da posição de falso nove, mas Renato inventou Jailson como adiantado. Sem lógica, pois contra um time tão forte quanto foi o adversário na partida desta quarta, era necessário os desarmes precisos desse volante. Ao lado de Maicon, Cícero tinha a função de armar o time. Tanto ele quanto Maicon pecaram e foram muito mal na partida. Erraram muitos passes e na marcação, frouxos.

Outro erro, que para todos foi surpresa, foi Lima. Depois de uma boa temporada no Ceará, voltou ao Grêmio para ajudar o time de transição e ser um dos protagonistas do time reserva. Já de imediato, no terceiro jogo da equipe no ano e o primeiro de uma final de Recopa, Renato o lançou como titular, na ponta direita. Todos esperávamos o mais lógico com a saída de Madson e o recuo de Léo Moura: Alisson na ponta. Mais uma falha.

Exceto o gol, o primeiro tempo do Grêmio foi horrível. Má movimentação, posse de bola comprometida, erros de passe, erros de posicionamento, jogadores apáticos. Suportamos o primeiro tempo única e exclusivamente por estarmos com um a mais. Igualitários em números de jogadores, o resultado podia ser mais trágico.

Mesmo com a expulsão, o Grêmio só foi senti-la positivamente quando Alisson entrou e botou fogo no jogo. Fez o que se espera de um extrema direita. Marcou, atacou. Propôs um dos bons lances do segundo tempo. A partir dos 15 minutos do segundo tempo, e só a partir, o Tricolor enfim dominou o jogo por contar com um jogador a mais.

Vale ressaltar que o erro drástico de Jailson adiantado foi corrigido no intervalo. Outro ponto positivo do empate de ontem na Argentina foi Kannemann. Cavou a expulsão, “brigou” com a equipe adversária por bola e jogou com a mesma raça que sempre teve. Monstro.

Fonte: Lucas Uebel (Grêmio FBPA)

Luan marcou o gol, claro. Mas no primeiro tempo não apareceu. No segundo, boas tabelas com Maicon e Cícero permitiram boas infiltrações e jogadas. Mas nada relativamente extraordinário.

Maicosuel estreou bem regularmente. Boa movimentação na esquerda mas pouca infiltração. Jael também entrou mas faltando poucos minutos, nada pode fazer.

Fica para a próxima quarta (21), na Arena. Se mudada a formação, sem invenções como a de ontem, a chance de vitória e título é grande.

Abraços!

VISÃO GERAL DA AVALIAÇÃO
Marcelo Grohe
6
Léo Moura
5
Pedro Geromel
6.5
Kannemann
7.5
Bruno Cortez
5
Cícero
5
Maicon
4.5
Jailson
5
Luan
7
Everton
6
Lima
4
Alisson
6.5
Maicosuel
5
Jael
4.5
COMPARTILHAR

Comentários