Por Giovani Mattiollo
- Às 18:36
52

Lucas Uebel/Grêmio/Divulgação

A vitória sobre o Fortaleza foi mais uma de Renato Gaúcho à frente do Grêmio, mas não uma qualquer. Além de tirar o time da incômoda posição no Z-4 do Brasileirão, marcou o 100º triunfo do treinador no comando da equipe em sua terceira passagem pelo clube. Uma marca que afirma o “Homem-Gol” na história do clube, também, fora das quatro linhas.

A centésima vitória poderia vir na rodada anterior, contra o Bahia, mas o time de Roger Machado adiou o feito. Neste sábado, porém, a equipe de Renato acabou com espera. Quer dizer, o treinador teve de esperar 89 minutos e só comemorou a um minuto do fim do tempo regulamentar. Ainda precisou mexer três vezes, promovendo, inclusive, o autor do gol, Pepê. E precisou abdicar do estilo que o consagrou nos últimos anos, trocando o futebol envolvente pela eficiência nas finalizações.

– O mais importante é que conseguimos o objetivo que era a vitória. Tem horas que tem que ser assim, na raça, na garra, na vontade. Como foi hoje (sábado). Esses três pontos era importantes, conquistamos – disse Renato após o jogo.

A marca dos três dígitos chegou antes de outra de quatro. No próximo fim de semana, quando o clube entra em recesso devido à Copa América, Renato completará 1000 dias no comando do Tricolor em sua terceira passagem.

Ele foi apresentado no Grêmio no dia 19 de setembro de 2016 em substituição a Roger Machado. Chegou sob a desconfiança de não levantar nenhuma taça nos primeiros dois trabalhos com o Grêmio. Mandou-a às favas dois anos e oito meses depois com cinco títulos oficiais. Entre eles a Libertadores, em 2017, que já havia conquistado como jogador.

A 3ª passagem de Renato pelo Grêmio*

Ano Jogos Vitórias Empates Derrotas Aproveitamento Gols pró Gols contra
2016 16 6 7 3 52,08% 15 11
2017 74 41 17 16 63,06% 117 56
2018 70 37 18 15 61,42% 105 48
2019 31 16 9 6 61,29% 56 16
Total 191 100 51 40 61,25% 293 131

* As vitórias sobre Cruzeiro (2 a 0, na semifinal da Copa do Brasil de 2016) e Pelotas (2 a 0, na primeira fase do Gauchão de 2019) não foram contabilizadas porque Renato estava sendo substituído pelos auxiliares Alexandre Mendes e Victor Hugo Signorelli.

O desempenho nesse período é bastante equilibrado. Em cada ano, Renato conseguiu manter um aproveitamento médio de pouco mais de 60%. Ou seja, a cada cinco pontos disputados, conquistou três, o que é relevante não apenas nas competições de mata-mata conquistadas como torna o Tricolor postulante a títulos e herdeiro de vagas à Libertadores em todas as temporadas.

Aliás, somadas as três passagens, Renato Gaúcho tem 150 vitórias no comando do Tricolor. Foram 33 entre 2010 e 2011 e 17 em 2013. Porém, em ambas, ele ficou com a pecha de recuperar um elenco desacreditado, fazer grandes campanhas, mas acabar com o vice-campeonato.Renato Gaúcho reverencia sua própria imagem na inauguração da estátua na Arena do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio/Divulgação

Renato Gaúcho reverencia sua própria imagem na inauguração da estátua na Arena do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio/Divulgação

Em número de jogos, Renato deve ultrapassar Carlos Froner até o fim da temporada e se tornar o 4º treinador com mais jogos pelo Grêmio. À frente deles, somente os históricos Oswaldo Rolla, Luiz Felipe Scolari e Telêmaco Frazão de Lima. Nenhum deles, contudo, teve o sucesso que Portaluppi teve como jogador, sendo campeão da América e do mundo com o Tricolor. O símbolo disso é a estátua, inaugurada em março deste ano na Arena.

A última partida antes da parada acontece já nesta quarta-feira, na abertura da 9ª rodada do Brasileirão. O Grêmio enfrenta o Botafogo, às 19h15 no Estádio Nilton Santos. Vencendo, o time cumpre as três metas impostas por ele após o título do Gauchão: classificar às oitavas de final da Libertadores, passar para as quartas de final da Copa do Brasil e se manter fora da zona de rebaixamento no Campeonato Brasileiro


Comentários